“Guedes fez reforma administrativa muda e cega”, diz Bruno Dantas

postado em: Notícias | 0

Um dos alvos dessa suposta reforma

 

O presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas, disse que o ministro da Economia, Paulo Guedes, fez uma reforma administrativa “muda e cega” ao longo de sua gestão. Para Dantas, foi uma ação deliberada baseada em não estabelecer critérios para diminuir o custo da máquina pública. O resultado, afirmou, é uma bomba relógio.

 

“Muda porque ele não comunicou que estava fazendo uma reforma administrativa. Ele parou de contratar servidores públicos e como há um volume grande de aposentadorias significou uma redução no tamanho do Estado. Só que é uma reforma cega porque como o corte é linear e não depende de uma estratégia de administração acaba não tendo inteligência por trás dessa redução da máquina“, disse.

 

Um dos alvos dessa suposta reforma foi o próprio TCU, afirmou. Em café da manhã com jornalistas, Dantas disse que desde 2012 o tribunal perdeu 497 funcionários, que não teriam sido repostos. Segundo ele, outro ponto é relevante na atuação de Guedes, que foi a política de não aumentar os salários dos funcionários do governo. Isso, segundo ele, é uma “bomba relógio”.

 

“Muitos quadros se aposentaram na Receita Federal, no Itamaraty. Evidentemente que uma boa reforma administrativa precisa levar em consideração onde é necessário reforçar a atuação do Estado e onde é preciso fechar“, disse.

 

Dantas citou o exemplo do INSS, que há anos tem filas com milhões de pessoas tentando se aposentar, mas que não tem capacidade operacional de atender todas as demandas. “A prestação de serviços públicos está sendo colocada em risco”, disse.

 

A situação do INSS foi alvo de críticas do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em suas redes sociais, ele disse que havia 5 milhões de pessoas na fila. E que isso era resultado do que chamou de “desmonte” feito pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

 

Fonte: Poder 360

Foto: Sérgio Lima/Poder 360

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × cinco =